encenação, cenografia, figurinos e

interpretação para:

abril, as mãos da liberdade

e livres habitamos a substância do tempo.

sophia de mello breyner andresen

teatro (amador) com encenação de hugo f. matos, para o teatro artéria. estreia no salão nobre dos g.d.r.c.v.f., loures em abril de 2010.

To play, press and hold the enter key. To stop, release the enter key.

press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom

 

com: andreia de brito, cláudia juliano, hugo f. matos, patricia branco, rui mendes, rui coelho, tânia paiva, vanessa ribeiro. criação e musica ao vivo: vasco ferreira cedido pela banda qiasmo.

as minhas causas são humanas, tão humanas quanto a recordação do homem não ser uma pausa de sangue na noite escamosa de um crocodilo chega até onde a palavra liberdade o estende num tempo sem medida.

natália correia

uma proposta teatral que procura explorar a obra poética desenvolvida a partir da revolução de 25 de abril de 1974. um espectáculo onde, abril, revolução, sentimento, liberdade de expressão, opressão, repressão e a censura surgem numa mistura entre musica e poesia, evidenciando o sentimento vivido no momento decisivo que devolveu a liberdade a um povo.

 

hugo f. matos